Veículos

Revista Mercado Edição 53 - agosto 2012

Sai da frente

Por Evaldo Pighini

A nova S10 pede passagem: picape da GM está mais forte, mais estilosa, mais confortável, mas também mais cara

“Agora a Chevrolet fez uma caminhonete”. Foi com essas palavras que um conceituado produtor rural me devolveu as chaves da nova S10, após eu havê-la cedido para ele dar uma volta por sua propriedade no município de Uberlândia, no Triângulo Mineiro. A picape – versão LTZ, com tração 4×2, motor diesel e cabine dupla – eu recebi da General Motors para teste durante 8 dias. E, após esse prazo, confesso ser obrigado a concordar com o produtor: “a picape mudou muito, e para melhor”. A GM promoveu uma mudança radical no modelo, que em nada lembra a antiga S10. Muito bem equipada, a nova picape traz de série: ABS, air bag duplo, ar-condicionado digital, revestimento interno em couro, ajuste elétrico do banco do motorista, computador de bordo, câmbio automático de 6 marchas e ainda mais itens. E o mais importante, manda bem tanto na estrada quanto no asfalto.
Sem querer desmerecer o modelo anterior, que por longos 16 anos e com méritos fez história, a nova S10 alia o conforto de um carro de luxo por dentro à robustez de um off-road por fora. No total, são 11 versões da picape oferecidas pela montadora, sendo duas para as versões de cabine simples e nove para as de cabine dupla. Há, também, dois tipos de motorização mais modernas e potentes, caracterizadas pelo novo 2.8 CTDI sobrealimentado por turbo compressor, abastecido com diesel e capaz de gerar 180 cv e ótimos 47,9 kgfm de torque, e o conhecido 2.4 16V, que recebeu alterações para despejar agora 147 cv e 24,1 kgfm.

A Chevrolet reinventou a S10 para continuar a sua longa liderança entre as picapes médias no Brasil

As mudanças da GM em sua picape mais popular não poderiam esperar mais, porque a S10 há muito precisava desse upgrade para bater de frente com uma concorrência cada vez mais acirrada, que conta com adversários de peso, como Wolksvagem Amarok, Nissan Frontier, Mitsubishi L 200 e a fortíssima Toyota Hilux, concorrência essa que aumenta com a chegada ao mercado da nova Ford Ranger. O novo utilitário da montadora americana parte da casa dos R$ 57 mil e vai até a faixa dos R$ 130 mil, ou seja, tem opção para todos os gostos e bolsos, variando de acordo com a necessidade do consumidor.

Por dentro, muitas novidades e praticamente nenhuma semelhança com a antecessora

Onboard

A nova picape da GM realmente é um prazer de dirigir, conseguindo aliar conceitos como segurança, conforto e funcionalidade. Porém, ainda é muito cedo para avaliar como estará a S10 após uns 30.000 ou 40.000 km de uso, rodando principalmente em estradas de terra e esburacadas, afinal, esse é o principal propósito das picapes. A bordo, no habitáculo da nova S10, a sensação é quase a mesma de dirigir um sedã com rodas de 17 polegadas e pneus de uso misto (também de série). Se, antes, a palavra conforto era desprezada quando o assunto era a picape média da Chevrolet, agora o novo modelo mostra uma bela evolução relativa ao tratamento dado a motoristas e passageiros, por causa do acabamento, da suspensão e da direção hidráulica muito bem acertados.
Uma vez na direção, é fácil para o motorista encontrar a posição de dirigir. O banco do motorista tem regulagem elétrica de distância, altura e inclinação do encosto, mesmo que o volante conte apenas com ajuste da altura. Com relação à visibilidade, a área envidraçada é ampla e o espaço interno muito generoso.
O barulho do motor é quase imperceptível na cabine, mesmo com a potência dos 180 cv que estão sob o capô e que fazem com que a picape não conheça tempo ou pista ruins. Ao motorista apenas um aviso: é preciso cuidado com o torque. A nova S10 é muito ágil, com respostas rápidas ao acelerador, graças ao torque de 47,9 kgfm, que aparece logo nos primeiros giros do motor. Um detalhe importante, a picape roda na faixa dos 120/130 km/h, sem exigir muito do motor, que se mantém na casa de 1.500 rpm.

O motor a diesel é totalmente novo: um quatro cilindros de 2.8 litros “common rail” com 180 cv e 47,9 kgfm de torque a 2 mil rpm - o maior torque da categoria

No que diz respeito a consumo, as medições feitas são próximas à média da concorrência. A nova S10 (cabine dupla, 4 x 2, diesel, a que testamos) fez 8,6 km/l na cidade e 11,2 km/l na estrada. Nesse quesito, a Mitsubishi L200 Triton está ainda longe de ser batida, com 10,6 e 15,2 km/l de diesel, respectivamente.
No geral, a GM vai precisar ainda melhorar alguns pequenos detalhes no acabamento interno e, principalmente, nas versões mais luxuosas, introduzir alguns equipamentos, como sensor de estacionamento e GPS, pois estamos falando de um veículo com 5,37 m de comprimento, 1,88 de largura, 1,83 de altura e 3,10 de entre-eixos, e cujo preço pode ultrapassar aos R$ 130 mil.

Detalhes da nova S10 LTZ – Cabine Dupla/4 x 2/CTDI
(versão testada pela MERCADO)
ABS nas quatro rodas / Air bag duplo / Ar-condicionado digital / Direção hidráulica / Interior de couro / Rodas de alumínio 17” / Banco do motorista com ajuste elétrico / Lanternas traseiras em LED / Regulagem elétrica de altura de faróis / Estribos laterais / Rack de teto / Capas dos retrovisores, maçanetas e para-choque traseiro com detalhes cromados / Faróis em formato de projetor / Luz de neblina traseira / Controle eletrônico de estabilidade / Controle de tração / Vidros, travas e retrovisores externos elétricos / Computador de bordo / Alarme / Transmissão automática de 6 velocidades / Rádio Doble Din com CD Player, MP3, Bluetooth, Entrada USB e entrada auxiliar / Motor Diesel 2.8 L / Preço R$ 113.572,00
Algumas conclusões…
Levando em consideração estar a bordo de uma picape, a nova S10 surpreende pela segurança e confortos transmitidos ao condutor, mais até que muitos carros de luxo que rodam por aí;
A suspensão alta e o excelente torque tornam a tocada muito tranquila. A picape passa por qualquer tipo de piso com facilidade, sem perder o conforto mesmo nos esburacados;
A nova picape chega fácil aos 170 km/h, mas faltou coragem (a esse jornalista que vos escreve) para “afundar” o pedal do acelerador até o final -dizem que ela atinge os 180 km/h;
Na aceleração de 0 a 100 km/h, a nova S10 foi bem e fez 11,8 s (medidos no cronômetro), mesmo tempo que faz a Frontier, mas abaixo da Hilux (11,9 s) e muito menos ainda que a Amarok (13,1 s);
Nas versões top de linha (pelo preço que se paga), a nova S10 bem que poderia oferecer alguns itens, como sensor de estacionamento e GPS, por exemplo.

.