Investimentos&etc.

Revista Mercado Edição 37 - dezembro 2010

Saltando os quebra-molas!

POR Antonio Leite de Oliveira Neto*

É possível ficar rico investindo seu dinheiro em ações? Não, essa não é mais uma situação de filme americano em que as pessoas alcançam a riqueza aplicando em ações, mas sim uma pergunta que passa pela cabeça de muita gente que está atrás de boas oportunidades para fazer o seu dinheiro render cada vez mais e, assim, garantir um futuro de maior conforto e sem dependência financeira de outras pessoas.
Diante dessa pergunta, ao abrirmos a janela de casa, passamos a observar o cenário macroeconômico de quem sonha alcançar um equilíbrio, porém encontra grande dificuldade em realizar esse sonho.
Crise mundial financeira de 2008, bancos em colapso, falta de crédito, desemprego e recessão em muitos países, crise na Grécia, crise na Irlanda, guerra entre as Coréias, o mundo tentando se reajustar e mudanças políticas no Brasil são apenas alguns fatos que vêm moldando o atual cenário de incertezas que vivemos.
Diante disso, voltamos à pergunta inicial: é possível ficar rico investindo em ações? Se formos analisar a evolução da Bovespa nesse período, ela já foi considerada o pior investimento de 2008, o melhor investimento de 2009 e um investimento mediano em 2010, o que mostra que os investimentos de curto prazo na bolsa não fazem muito sentido, porém, se pegarmos a evolução de Bovespa desde a década de 1960 até os dias atuais, conseguimos responder nossa pergunta do início, pois, aí sim, a Bolsa já formou algumas riquezas.
Porém, no curto prazo é preciso fazer uma gestão mais ativa de nossa carteira de ações, e em cenários de total incerteza como o que estamos vivendo agora, o mais prudente a fazer é entrar em operações mais conservadoras que nos dão maior segurança, protegem nosso capital e limitam as perdas caso o mercado venha a perder força gradativamente.
Existem diversas estratégias conservadoras no mercado de ações que se encaixam no cenário citado no parágrafo anterior. Seu assessor de investimentos já deve ter comentado sobre essas operações, que são: Financiamento com Opções, Cruzamento de Médias Móveis, Compra com Capital Protegido e a estratégia de “Long & Short”, que iremos especificar um pouco mais aqui neste artigo.
Os analistas de mercado observaram que ações do mesmo setor, embora tenham seus preços diferenciados, geralmente costumam ter a mesma variação, formando uma relação constante de preços entre elas, porém, em certo momento do mercado, essas ações que possuem preços diferentes, mas variações de preços constantes, geram uma distorçam nessa relação de preços, alterando essa variação (gráfico a seguir).
Ao observar essa relação distorcida, os analistas detectaram uma oportunidade que acabou sendo chamada de “Long & Short” (Comprado & Vendido), que consiste em uma operação casada – simultânea -, na qual um investidor mantém uma posição vendida em uma ação e comprada em outra – com financeiro perto de zero -, no intuito de obter um residual financeiro da operação quando liquidá-la.
Ficou difícil? Então vamos a um exemplo prático, para entendermos melhor como a coisa funciona. Para isso, vamos usar como exemplo a TAM PN (TAMM4) e a GOL PN (GOLL4), duas empresas do setor aéreo brasileiro que, historicamente, têm valores diferentes, porém geralmente seguem uma relação constante entre elas.
A partir do momento em que essa relação é distorcida, como no nosso exemplo, as ações de TAMM4 subirão 5% e as de GOLL4 cairão 5%, portanto, a tendência natural do preço desses ativos é voltar para a variação e relação histórica entre eles, e é aí que os analistas identificam a oportunidade que chamamos de Long & Short.
No nosso exemplo, para que a relação histórica volte a vigorar, há duas possibilidades. A TAMM4, que havia subido 5%, deve cair, mantendo assim a relação entre as ações, ou a GOLL4, que havia caído, deve subir para manter essa proporção. Seguindo esse raciocínio e nossa estratégia de Long & Short, deveríamos comprar GOLL4 e vender TAMM4, acreditando que o ajuste entre esses dois ativos deve ocorrer e assim garantir o sucesso da operação.
A estratégia de Long & Short é excelente para momentos de incerteza, entrando nos dois lados do mercado, tanto na compra como na venda, deixando você um pouco mais protegido em um mercado instável, afinal, se a Bolsa cair, você perde na ação comprada (GOLL4) e ganha na ação vendida (TAMM4), mas em caso de a Bolsa subir, você inverte sua relação ganho/perda.
Embora isso seja uma boa estratégia de proteção, não é a única… Nos próximos artigos citaremos outras estratégias.
Portanto, acho que chegamos a uma resposta para a pergunta do início deste texto: realmente é possível adquirir independência financeira investindo no mercado de capitais. Em longo prazo, isso tem grande probabilidade de acontecer, mas só será possível com uma gestão eficiente de nossa carteira de ações e bons conhecimentos de estratégias de proteção que nos ajudem nos momentos de incerteza do mercado, da forma como acontece agora. Por exemplo, entrar em uma operação de Long & Short.

* Colaboração: Ápis Investimentos | Afiliada XP-Uberlândia
www.apisinvestimentos.com – 34 3221-8606