Editorial

Revista Mercado Edição 44 - agosto 2011

Editorial

Triângulo em festa

Araguari e Uberlândia completam neste mês 123 anos nos dias 28 e 31, respectivamente. Se três dias separam o aniversário destes dois municípios, apenas 30 quilômetros os separam em distância. São dois municípios, vizinhos de fronteira, que ocupam posições privilegiadas no ranking nacional: Araguari está na 227ª colocação à frente de 5.337 municípios, e Uberlândia é o 27º colocado, superando outros 5.541 municípios, à frente, inclusive, de muitas capitais. Já em nível estadual, Araguari é o 23º e Uberlândia o 2º, entre 853. Em termos regionais, no Triângulo Mineiro, Uberlândia vem em 1º lugar em grandeza e desenvolvimento, e Araguari em 4º.  Enfim, são dois municípios de relevante importância tanto para a economia estadual quanto nacional, que merecem todas as homenagens possíveis, incluindo a nossa, da Revista MERCADO, que os destaca em capa nesta edição de agosto.
Para fugir do trivial, de falar da história desses dois municípios – coisa que já fizemos em edições de outros aniversários -, optamos desta vez focar por um pouco na força econômica de Uberlândia e Araguari, mais precisamente, na vocação de ambos como terra de investimentos, onde o verbo empreender pode ser conjugado perfeitamente em três tempos: passado, presente e futuro: a história confirma isso.  Aliás, se fosse para descrever toda a importância, a força política e econômica que estes dois municípios representam no contexto nacional, a edição inteira seria insuficiente. Não é à toa que cá estou, literalmente, na condição de editor, rasgando seda para esses dois municípios.
Só para citar alguns dados, no caso de Araguari, o município, com seus 110 mil habitantes, é o 227° no ranking dos municípios Brasileiros e o 4º de Minas Gerais. Tem como ponto forte o agronegócio, por meio do qual produz, em média, 600 mil sacas/ano de um dos cafés de melhor qualidade do Brasil e do mundo, tanto no tipo quanto no sabor. São 20 mil hectares com 42 milhões de covas além de extensas áreas com lavouras de soja, laranja, milho, arroz, tomate, feijão, maracujá, acerola e uva, que são colhidas e processadas pela indústria local, o que inclui três das maiores empresas de suco do país – Dafruta, Pomar e Maguary -, que juntas produzem 70 % dos sucos consumidos no país. Além disso, o município conta com varias indústrias de médio e pequeno porte que atuam nos setores de frigoríficos, calçados, metalurgia, inox e vários outros. Agora, mais recentemente, para comprovar a vocação de Araguari para atrair investimentos, a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), controlada pela Vale S/A, está construindo no município, em área de 670 mil metros quadrados, um Terminal de Transbordo que deverá entrar em funcionamento até o final deste ano, gerando aproximadamente 600 empregos diretos.
Quanto a Uberlândia, o município e seus bem mais de 600 mil habitantes dispensa apresentações. Nos últimos anos, muitos investidores têm sido atraídos para Uberlândia por conta de diversos fatores, dentre os quais a localização, a infraestrutura, o seu capital intelectual, sua rede hoteleira e suas opções de gastronomia, lazer e entretenimento. Para ilustrar, no quesito econômico, desde 2005, mais de R$ 3,5 bilhões em investimentos privados foram anunciados no município, segundo informações da Prefeitura. Nesse sentido, um dos segmentos de maior destaque do município – assim como Araguari – é também o de agronegócios. A área agricultável de Uberlândia corresponde a 280 mil ha. A cidade possui uma capacidade de processamento de grãos que ultrapassa 2,2 milhões de toneladas por ano e o cultivo de milho e soja chama bastante atenção na região. O setor de laticínios, que tem capacidade para processar mais de 2 milhões de litros de leite por dia e o abate de aves e suínos, que ultrapassa 80 milhões de animais por ano, também fazem do agronegócio um setor de destaque em Uberlândia, maior exportadora de leite em pó do Brasil. Há de se considerar ainda o título que o município ostenta de Polo Atacado Distribuidor, por ser a sede das maiores empresas do setor e, portanto, responsável pela distribuição de produtos para todas as regiões do Brasil. Para se ter ideia, apenas cinco das empresas com Centros de Distribuição (CDs) instalados somam 235 mil m² de área de armazenagem, 2,6 mil veículos em frota própria, 700 mil clientes ativos e geram 17 mil empregos. Poderia falar ainda da estrutura de Telemarketing de Contact Centers instalados em Uberlândia, que emprega cerca de 9 mil pessoas e é referência no país. Dizer do moderno distrito industrial que tem 9,6 milhões de m², possui 300 empresas instaladas e outras 40 novas em processo de instalação. Como não mencionar o grande centro educacional em que o município se transformou! É só citar a educação de nível superior local, que concentra cerca de 40 mil alunos, entre graduação, cursos de especialização, mestrado e doutorado, distribuídos por uma Universidade Federal e mais de 20 instituições privadas de Ensino Superior e Especialização.
Enfim, há muita coisa para se falar desses dois municípios em tão pouco espaço. Contudo, não tem como contestar o potencial de Araguari e Uberlândia como polos de investimento, em que se pode perfeitamente conjugar o verbo empreender.
Parabéns, Araguari!
Parabéns, Uberlândia!
E para celebrar os 123 anos desses dois municípios, escolhemos essa data e esta edição para circular um novo lay-out da MERCADO. Espero que agrade os nossos leitores.

Evaldo Pighini
Editor