Dica de Leitura

Revista Mercado Edição 34 - setembro 2010

Livro: “A Cabeça de Steve Jobs” Leander Kahney

É difícil acreditar que um único homem tenha revolucionado a informática nos anos 1970 e 1980 (com o Apple II e o Mac), o cinema de animação nos anos 1990 (com a Pixar) e, mais recentemente, a música digital (com o iPod e o iTunes). Foi o que fez Steve Jobs, cofundador e presidente da Apple. Não é à toa que conquistou milhões de fãs no mundo inteiro. É justamente esse “gênio”, podemos assim dizer, que o jornalista e escritor Leander Kahney, que há anos acompanha de perto a carreira do empresário, mostra em seu livro “A Cabeça de Steve Jobs”. Ele apresenta o homem por trás da figura cultuada: um fascinante poço de contradições. O gênio que, além de ter uma personalidade controversa, cria produtos arrasadores, atrai compradores fanaticamente fiéis e administra algumas das marcas mais poderosas do mundo.

Sinopse da obra

“A Cabeça de Steve Jobs” reúne as lições empresariais desse inovador visionário e revela os segredos de seu sucesso. Considerado um líder notável nas indústrias da tecnologia de informação e entretenimento, Jobs é também dono de um temperamento difícil: seus épicos acessos de raiva já se tornaram lenda.
Jobs é um elitista que considera a maioria das pessoas idiota, mas faz gadgets fáceis de serem utilizados por qualquer idiota. É obsessivo e tem pavio curto, mas constrói parcerias sólidas e duradouras com gênios criativos como Steve Wozniak, Jonathan Ive e John Lasseter. É budista e antimaterialista, mas faz produtos para mercados de massa em fábricas asiáticas e os promove com domínio absoluto da linguagem da propaganda.
Em suma, Jobs adotou os traços considerados por alguns como defeitos – narcisismo, perfeccionismo, desejo de controle total – para conduzir a Apple e a Pixar ao triunfo contra probabilidades adversas. E, nesse processo, tornou-se um bilionário.
Assim como Jobs, este é um livro singular. Ao mesmo tempo uma biografia e um guia de liderança para os novos tempos, ele ensina como você pode criar sua própria cultura de inovação.

.

.

“As pessoas não sabem o que querem até você mostrar a elas”

Steve Jobs