Tecnologia

Revista Mercado Edição 42 - maio 2011

Uberlândia ganha Polo Tecnológico

POR Janaína Depiné (Lead)

Cidade é a 13ª do país a investir num centro que reúne empresas do setor, à frente de muitas capitais

Após mais de 10 anos de espera, Uberlândia, no Triângulo Mineiro, contará com um Polo Tecnológico. O anúncio foi feito pelo prefeito Odelmo Leão. Em área total de 152.845 metros quadrados, o Polo irá abrigar empresas de tecnologia, criação e desenvolvimento de software, com foco em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e capacitação de recursos humanos para atender ao mercado de tecnologia e inovação. São 72.062 metros quadrados destinados à instalação de empresas e outros 80.782 metros de área de preservação ambiental.
“Nos últimos cinco anos, Uberlândia se tornou a segunda cidade do interior do país em número de geração de postos de trabalho. Isso foi possível graças ao desenvolvimento da cidade, que continua crescendo e precisa de espaços como estes para receber novos negócios. São ações que favorecem não só o município, como também o estado de Minas Gerais, que novamente conta com Uberlândia para diversificar seus atrativos econômicos”, disse o prefeito Odelmo Leão.
A notícia foi comemorada por empresários do setor. “Isso é uma reivindicação nossa de pelo menos 10 anos. No mundo todo as empresas de tecnologia têm nos polos a infraestrutura para crescer e se manter. Empresas como a Cisco, que detém 90% do tráfego de internet no mundo, explodiram como empresas dentro de um parque tecnológico. Também foi assim com Google e HP”, diz Miguel da Rocha Correia Lima, diretor da Landix, empresa que há 11 anos atua nacionalmente com foco exclusivo em mobilidade, especialmente na área de aplicativos para a automação de força de venda e ordens de serviço.

Odelmo Leão durante a assinatura do contrato: “São ações que favorecem não só o município, como também o estado de Minas Gerais”

“É uma necessidade muito grande para a nossa empresa, até porque já retardamos alguns projetos de expansão devido à falta de espaço. Por isso, acreditamos que esse Polo vai ser uma oportunidade muito grande para fomentar negócios e dar mais força para concorrer no cenário nacional e mundial”, disse o diretor da Sankhya, Fábio Túlio Fellipe.
O investimento foi viabilizado por meio de desapropriação amigável, firmada entre a Administração Municipal e empresas proprietárias de terrenos na região onde o polo será implantado.

A importância dos Polos Tecnológicos

O diretor da Landix, Miguel da Rocha, ao destacar a importância do Polo Tecnológico: “A TI hoje é como um jogo de Lego. Não existe empresa que faça tudo. São necessárias muitas empresas com sinergia entre si”

Seguindo uma tendência mundial, a partir de 1990, o Brasil começou a elaborar e a implementar projetos locais e regionais de desenvolvimento baseados nos conceitos de arranjos de produção e de inovação. “Esses projetos, chamados aqui de polos tecnológicos, procuram, além da consolidação e da capacitação da produção propriamente dita, desenvolver inovações organizacionais que favoreçam um maior capital social’, diz a pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Maria Alice Lahorgue.
Para o diretor da Landix, Miguel da Rocha Correia Lima, ao reunir empresas do setor, os polos conseguem solucionar diversas questões da área. “A TI hoje é como um jogo de Lego. Não existe empresa que faça tudo. São necessárias muitas empresas com sinergia entre si e o polo proporciona isso”, garante
De acordo com a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), o país conta hoje com 12 polos tecnológicos. Boa parte gerando pesquisa, empregos diretos, fomento à inovação e captando recursos do governo. “Empresas que estão dentro de polos como Uberlândia serão bem vistas pelos investidores. Há verbas de bancos como BID, BNDES, BDMG e entidades de fomento como Finepe e Fapemig, que têm verbas específicas para empresas em polos tecnológicos. Todos os anos foram dezenas de editais de que não pudemos participar por não estarmos dentro de um polo”, justifica o diretor da Landix.

Conheça os Polos Tecnológicos já em operação no Brasil
1 Núcleo de Fomento de Negócios Inovadores (Fomenti) e Polo Tecnológico Olinda Digital
2 Conselho de Desenvolvimento do Polo Tecnológico de Santa Rita do Sapucaí/Mg
3 Associação Polo Rio de Cine Vídeo e Comunicação – Riocom
4 Polo de Biotecnologia do Rio de Janeiro – Fundação Bio Rio
5 Polo Tecnológico do Inmetro
6 Ciatec – Cia de Desenvolvimento do Polo de Tecnologia de Campinas
7 Fipase – Fundação Instituto Polo Avançado de Sáude/Supera
8 Trino Polo – Associação do Polo de Informática de Caxias do Sul
9 Polo Tecnológico do Noroeste Gaúcho – Iptec
10 Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas
11 Polo Tecnológico do Noroeste Gaúcho
12 Polo de Pesquisa e Inovação da Unicamp

.