Matéria de Capa

Revista Mercado Edição 44 - agosto 2011

Uberlândia: 123 anos de empreendedorismo

Por Margareth Castro

No dia 31 de agosto, o município completa o seu centésimo vigésimo terceiro aniversário, ostentando o rótulo de segundo maior do estado e segundo maior do interior brasileiro, e se consolida como uma terra de oportunidades e onde os negócios fluem

“As empresas procuram Uberlândia porque conhecem a cidade, que tem programas na área ambiental, transporte coletivo de qualidade, 100% de água tratada e localização privilegiada, além de benefícios fiscais atraentes.“ Paulo Sérgio Ferreira Secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo

A palavra empreender é um verbo que pode ser conjugado em todos os tempos em Uberlândia. A cidade, localizada no Triângulo Mineiro, reúne indicadores econômicos, de infraestrutura, logística e educação, que atraem cada vez mais novos investidores e possibilita que aqueles que já estão estabelecidos ampliem seus negócios. Serve de parâmetro a quantidade de novas empresas abertas que, nos seis primeiros meses de 2011, subiu quase 50% em relação a igual período de 2010.  Esse crescimento ratifica a vocação empreendedora da cidade construída ao longo dos seus 123 anos de história – a serem completados no dia 31 de agosto -, onde estão registrados os nomes de grandes empreendedores, como Alair Martins (Grupo Martins), Alexandrino Garcia (Grupo Algar), Dílson Pereira (Arcom) e Tubal Siqueira (Rede Integração). Mas é o presente que queremos abordar.
Segundo dados da Junta Comercial de Minas Gerais (Jucemg), entre janeiro e junho deste ano, 3.306 novos negócios foram abertos em Uberlândia, entre empresas e microempresas individuais (MEI), nos setores da indústria, comércio e serviços.  O número é 48,3% superior ao mesmo período de 2010, quando foram registrados 2.229 processos.  No total, são mais de 33 mil empresas em Uberlândia, segundo informações da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.
A cidade, a segunda maior potência econômica de Minas Gerais, atrás apenas de Belo Horizonte, e também a segunda maior do interior do Brasil, tem como uma de suas principais metas a diversificação das atividades. Os setores de comércio e serviços respondem por 68,8% do produto interno bruto (PIB) do município. A indústria representa 28,4% e o agronegócio tem participação de 2,8%.

“Uberlândia é uma cidade que atrai. Temos um forte polo educacional e somos, através da biotecnologia, o maior centro de pesquisa empresarial do agronegócio (que atua com defensivos agrícolas e desenvolvimento de sementes).” Pedro Lacerda Presidente da FIEMG Regional Vale do Paranaíba

O perfil econômico de Uberlândia, que antes era voltado para o agronegócio, mudou com investimentos de empresas e indústrias, atraídas pela localização geográfica do município, que é um dos pontos centrais de uma área que concentra a maior parte das riquezas geradas no país, respondendo por 58% do PIB nacional.  Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Paulo Sérgio Ferreira, a diversificação da economia mostra o foco empreendedor da cidade. Segundo ele, é grande o número de empresas que buscam informações com o interesse de se instalarem no município. “Neste ano, a demanda maior é por empresas de logística, devido à instalação do entreposto da Zona Franca de Manaus na cidade e por estarem aqui os maiores atacadistas do país, um dos quais também o maior da América Latina”, disse.
O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Uberlândia, Celso Vilela Guimarães, diz que “em constantes mutações, a cidade se credencia e passa a ser considerada empreendedora, atração maior para a preferência de grupos nacionais e internacionais que buscam a realização de seus investimentos, maior visibilidade de sua marca, valorização de seus talentos e conquista de novas fronteiras.”
Já o presidente da FIEMG Regional Vale do Paranaíba, Pedro Lacerda, reforça a importância da localização estratégica da cidade na atração de empreendedores. “O Brasil passa por aqui. Seja pelo ar, pela terra e até pelas águas, a nossa região é forte logisticamente”, afirmou.  Lacerda destaca que Uberlândia possui o segundo maior aeroporto de Minas em número de passageiros embarcados, atrás apenas de Confins, em Belo Horizonte.  No primeiro semestre deste ano, foram 416.465 embarques e desembarques, contra 345.806 no mesmo período de 2010.

“Nossa cidade com fronteira aberta e sem restrições à comunidade contribui de forma decisiva para atrair novos investimentos tecnológicos, o que gera mais confiança nos relacionamentos empresariais e com o município.” Celso Vilela Guimarães Presidente da CDL Uberlândia

Por Uberlândia passam as principais rodovias que ligam o Brasil de ponta a ponta – BRs 050, 452 e 365, entre outras -, além de ferrovias.
Em relação à infraestrutura, a cidade tem 100% de água tratada e 98% de rede de esgoto e ainda transporte coletivo com 100% de acessibilidade e frota nova. Por causa da qualidade do serviço de transporte público, o município recebeu o Prêmio Internacional de Dubai para Boas Práticas, concedido pela ONU Habitat. Sem contar que o Sistema Integrado de Transporte (SIT) se tornou referência para outras cidades do país. A cidade conta ainda com um importante polo educacional, com uma universidade federal e pelo menos 20 privadas. Juntas, elas totalizam aproximadamente 40 mil alunos entre graduação, cursos de especialização, mestrado e doutorado.

Economia pujante

Cidade tem o 4º maior PIB per capita do Estado

O Produto Interno Bruto (PIB) per capita de Uberlândia, de R$ 23 mil, é o quarto maior de Minas Gerais, sétimo do interior do Brasil e 27º do país. Isso significa que a cada R$ 1 mil em bens e serviços produzidos no Brasil, R$ 8 foram gerados pelas empresas com base na cidade. Os números mostram que o município tem uma economia pujante e que os investimentos feitos pelas empresas e indústrias ajudam a traçar o novo perfil da cidade e a alavancar a receita tributária.  “Uberlândia está entre as cinco cidades emergentes do Brasil e, por isso, foi convidada a participar em março da Feira em Xangai”, disse Paulo Sérgio Ferreira, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

“Uberlândia conta com a presença de boas redes de transporte rodoviário, ferroviário, aéreo e suas conexões, além de perspectivas extremamente sólidas de melhorias a serem implantadas com a função da plataforma logística e conexões com hidrovias e outras redes ferroviárias em construção ou em planejamento.” Marcos Vinícius Reis Diretor presidente da Reis Advogados

Em levantamentos mais recentes, de janeiro a maio deste ano, a arrecadação somou R$ 508,1 milhões, 21,7% a mais do que o recolhido em igual período de 2010, que foi de R$ 417,3 milhões. Em termos de arrecadação, a cidade é a terceira maior do Estado, atrás de Belo Horizonte e Betim. Por outro lado, o recolhimento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), de janeiro a abril deste ano, atingiu R$ 497,9 milhões, segundo dados da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF).
Todos esses indicadores atraem investimentos como o Wall Mart, que irá empregar R$ 50 milhões na construção de uma loja na cidade, e o Uberlândia Shopping, um investimento de R$ 100 milhões do grupo Sonae Sierra Brasil, a ser inaugurado em 2012. O diretor de Desenvolvimento do grupo, Mário Alves Oliveira, diz que Uberlândia é um importante polo de desenvolvimento, com uma economia forte e diversificada que exerce grande influência sobre a região do Triângulo Mineiro. “Isso tudo favorece o empreendedorismo em diversos setores, recebendo investimentos, gerando empregos e tornando a cidade cada vez mais atrativa ao empresariado e à população”, reforçou.
Outro empreendedor que foi atraído pela economia, infraestrutura, logística e ainda pela qualidade de vida da cidade foi o diretor presidente da Reis Advogados, Marcus Vinícius Reis. “A prosperidade da cidade e da região nos motivou a sediar a empresa no município, de onde pretendemos expandir nossos horizontes, aproveitando as diversas oportunidades de negócios aqui presentes”, revelou. Segundo Reis, Uberlândia também é uma ótima cidade para se morar. “O povo é de bem com a vida, politizado e com um grande objetivo em comum, com o qual me alinho: fazer essa cidade crescer.”

“A cidade, que tem potencial para crescer ainda mais, foi escolhida pelo Sonae Sierra Brasil para abrigar um de seus novos projetos - o Uberlândia Shopping - que faz parte de sua estratégia de crescimento. Temos certeza de que Uberlândia será um lugar cada vez melhor para todos.” Mário Alves Oliveira Diretor de Desenvolvimento do Sonae Sierra Brasil

A atração de novas empresas e indústrias para a cidade impulsionou a criação de um novo Distrito Industrial (DI), que será construído na zona leste, em uma área de 1.286.482 metros quadrados, no entroncamento das rodovias BR-050, 365 e 452, entre a ferrovia e o
aeroporto. O novo espaço será voltado para as empresas não poluentes.  Isso sem contar a construção do Polo Tecnológico na zona sul, anunciado pelo prefeito Odelmo Leão em abril deste ano, em uma área de 152.845 metros quadrados. O Polo Tecnológico irá abrigar empresas de tecnologia, criação e desenvolvimento de software, com foco em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e capacitação de recursos humanos para atender ao mercado de tecnologia e inovação.  O objetivo dos dois investimentos é gerar mais empregos e diversificar a economia.

Trabalho

Terceira maior empregadora do estado

No primeiro semestre deste ano, Uberlândia gerou 6.374 novos postos de trabalho formais. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve uma queda de 18,5%, quando foram totalizadas 7.822 novas vagas. Contudo, os números ainda continuam satisfatórios. Somente em junho foram 977 empregos gerados, com índice de crescimento de 95,4% em comparação com junho de 2010, que teve saldo de 500 postos.  Com o resultado de junho, divulgado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, a cidade ocupa o terceiro lugar no ranking estadual de geração de empregos, atrás de Belo Horizonte (4.951) e Patrocínio (1.566).
Até o primeiro quadrimestre do ano, Uberlândia estava atrás apenas de Belo Horizonte, com um saldo de 5.046 vagas de trabalho. Em abril, o município deteve o maior superávit do emprego formal no estado, com 1.749 postos.

Perfil da Cidade

(alguns dados)

Serviço Público
82 unidades de saúde
56 unidades de educação infantil
39 escolas de ensino fundamental
Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais (Cemepe)
Campus Municipal de Educação Especial
117 linhas de ônibus
17 parques

População
501.214 – censo 2000
604.013 – censo 2010

PIB
1999 – R$ 4.460.210
2002 – R$ 6.435.690
2008 – R$ 14.270.392

Renda per capta
R$ 22.926,50

Empregos
1º semestre de 2010 -7.822
1º semestre de 2011 -6.374

Receitas
Federal em 2010
R$ 3.770.001.405,00
Estadual em 2010
R$ 1.659.652.985,65

Empresas/Indústrias
(fonte: Sebrae-MG)
Microempresas – 26.493
Pequena- 1.639
Média – 169
Grande- 104