Sustentabilidade

Revista Mercado Edição 40 - março 2011

Sustentabilidade na prática industrial – Empresa Interface


A Interface é uma empresa americana de carpetes que tem sido considerada exemplo mundial de sustentabilidade. O dono, Ray Anderson, desde que leu o livro de Paul Hawken, “A Ecologia do Comércio”, em 1994, resolveu desafiar os seus colaboradores a liderarem a empresa e o mundo industrial para a sustentabilidade.
Assim, desde aquela época, ele lançou um objetivo audacioso para a Interface: “Não tirar nada da terra que não possa ser substituído por ela.” E estudando a equação de impacto ambiental de Paul e Anne Erhlich, chegou a algumas ideias iniciais para esse grande desafio.

I = PxAxT
Onde,
I = Impacto ambiental
P = Tamanho da população
A = Média do consumo individual, medido pelo PIB per capita
T = Tecnologia empregada e seu impacto em termos de emissões de gases do efeito estufa
Segundo Ray Anderson, essa equação representaria as características da primeira revolução industrial, ou seja:
Extrativista: extração de matéria-prima da terra;
Linear: extrair-fabricar-desperdiçar;
Alimentada por energia derivada de combustível fóssil;
Desperdiçadora, abusiva e focada na produtividade da mão de obra.
Então, revisou a equação de Paul e Anne Erhlich para:

I = (PxA)/T2
Onde,
T2 = Tecnologia do futuro

Essa equação representaria a nova revolução industrial:
De extrativista para renovável;
De linear para cíclica (logística reversa e tecnologia de reciclagem pós-consumo);
De energia de combustível fóssil para energia renovável;
De desperdiçadora para sem desperdício, benigna e focada na produtividade dos recursos.
Desde então, a Interface conseguiu:
Redução de emissão de gases do efeito estufa em 82%;
Redução no consumo de combustíveis fósseis em 60%;
Redução de resíduos em 66%;
Inventar e patentear novas máquinas, materiais e processos de manufatura;
Ok, o leitor pode estar pensando que isso tudo é muito bonito, mas que o objetivo de uma empresa é ter lucro, não? E quem foi que disse o contrário?
Adivinhe então o que aconteceu com a Interface nesse mesmo período? Veja só:
Aumento de 66% nas vendas;
Aumento de 100% nos lucros.
Então, quem disse que é necessário escolher entre sustentabilidade e lucratividade? Por que não escolher ambos?
Ray Anderson propõe ainda outra equação para a nova civilização:

I = (PxA) / (T2 x H)
Onde,
H = felicidade (mais felicidade com menos recursos materiais)
Quanta mudança de paradigma!!

Obs.: Para legendas em português clique em “View Subtitles” e escolha “Portuguese (Brazil)”


_______________________________________________________________

Este espaço se reserva a notícias e/ou projetos socioambientais. O conteúdo aqui publicado é de responsabilidade do CINTAP, através do Eco Instituto INDERC, mas está aberto também para outras pessoas, empresas ou instituições que queiram divulgar assuntos pertinentes ao seu propósito. Informações com Daniela Dias, gerente de Projetos do Eco Instituto INDERC, através do telefone 34 3230 5200 ou do e-mail projetos@cintap.com.br. Acesse: www.inderc.org.br e siga: www.twitter.com/cintap2010 – www.twitter.com/ecoinstituto