Veículos

Revista Mercado Edição 41 - abril 2011

Prisma 2012 chega ao mercado com “carinha” de Vectra

POR Evaldo Pighini

O modelo passa a ser oferecido com novas nomenclaturas – LS e LT

O ano de 2011 mal começou e a General Motors já coloca no mercado o Prisma 2012. O carro chega com novos detalhes internos e externos, mas à primeira vista o diferencial que mais chama a atenção é a traseira, que foi remodelada, dando ao carro uma certa semelhança com o primo rico, o Vectra. De acordo com a GM, o Prisma sai de fábrica nas versões LS – motor 1.0, Flexpower VHCE, com 77 cv – e LT – motor 1.4, Econo Flex, com 97 cv potência. Os preços da versão LS começam em R$ 31.344 e podem chegar a R$ 35.288, com a adição de ar-condicionado e direção hidráulica. Na configuração LT, os valores iniciam em R$ 32.150 e atingem os R$ 36.958, mais R$ 717 com pintura metálica.
As mudanças estéticas realizadas pela GM procuraram empregar no sedan certa dose de sofisticação. Externamente, chama a atenção o conjunto da grade dianteira cromada – semelhante ao Agile – e o friso cromado na tampa do porta-malas que acompanha a linha das lanternas, detalhe que, segundo a própria fábrica, remete ao Vectra.

Na parte interna, mais requinte com relação ao modelo anterior. A maior novidade é o volante, que assim como a grade dianteira, destaca mais o símbolo da marca. Os botões que controlam o sistema de ventilação também foram modificados, além dos bancos, que agora contam com nova padronagem de tecido. O quadro de instrumentos tem novos grafismos e iluminação em led na cor Ice Blue, seguindo a tendência de outros modelos da fábrica, como Montana, Agile e Malibu. Para mais conforto, o modelo conta ainda com mais porta-objetos e também porta-copos. Uma pena é o carro não sair com vidro elétrico nas portas traseiras. Ponto positivo também para o porta-malas, bem maior, por sinal, e que vai agradar com certeza.

Avaliação - A convite da GM, testamos por alguns dias o veículo na versão 1.4 Econo Flex. Rodamos só com gasolina, e com esse tipo de combustível, em se tratando de consumo, foi notável a diferença entre cidade e estrada. Em perímetro urbano, o carro bebe mais do que nas estradas, onde ele se mostrou bem mais econômico, pois nem mesmo o ar-condicionado ligado conseguiu comprometer o consumo e muito menos o desempenho. Um ponto negativo, mas que certamente a GM deverá corrigir, é a posição do motorista no habitáculo com relação ao volante, que apresenta um pequeno desnível, fazendo com que o braço esquerdo fique um pouco mais entendido que o direito. Quanto aos demais comandos, nada a reclamar.
Aliás, em se tratando de desempenho, o carro surpreende, mostrando-se bastante ágil ao atingir até com certa facilidade os 160 km por hora. É claro que essa velocidade está muito além da permitida nas estradas brasileiras, e isso é até bom, tendo em vista o desempenho do Prisma 2012, que contrasta com certa instabilidade que começa a ser sentida quando acima dos 100 km/h e vai se acentuando na mesma proporção que a velocidade aumenta. Mas, quem quer andar conforme as regras de trânsito, ou seja, no máximo a 120 km/h, a instabilidade é tolerável e controlável, além de que essa faixa de velocidade é facilmente alcançada pelo veículo, impulsionada pelo bom motor 1.4, que se mostrou bastante silencioso, chegando a desenvolver 97 cv de potência e proporcionando ainda boa retomada de velocidade.
No geral, para quem sonha com um Vectra e não pode comprar, vale a pena investir no Prisma 2012, um carro que, diga-se de passagem, está acima de muitos de seus concorrentes no mercado e a um preço mais acessível.