Veículos

Revista Mercado Edição 49 - março 2012

O quase perfeito Range Rover Evoque

Por Evaldo Pighini

Meio SUV, meio crossover, o Evoque não é apenas mais um da tradicional fabricante inglesa Land Rover. Ele chegou para ser referência, e o melhor, pode ser configurado da forma que o cliente preferir

Design sóbrio, linhas conservadoras, robustez e tecnologia agregadas sempre foram características marcantes em veículos da Land Rover. Mas se esqueça disso quando se encontrar com o Range Rover Evoque – marca mais cara do grupo Land Rover. Pelo menos foi essa a nossa impressão ao ter contato com esse crossover, que é um misto de cupê, hatchback e utilitário esportivo ao mesmo tempo. A convite da concessionária Eurobike, em Uberlândia, a MERCADO testou a versão Dynamic Tech por um dia, tempo não muito suficiente para uma boa avaliação, menos ainda para explorar tudo o que o carro tem a oferecer, ainda assim, ficou a convicção de ser um veículo com boa direção, desenho arrojado, pegada forte e que chama a atenção onde quer que esteja. Por isso, quem quiser passar despercebido, fique em qualquer lugar menos no cockpit do Evoque. Num conceito geral, é um carro que se aproxima da perfeição, pena que não é para qualquer um, muito menos para um mero jornalista.

Linha ascendente da cintura dá visual robusto e agressivo ao Range Rover Evoque

Entre os inúmeros itens de série que acompanham o Evoque Dynamic Tech, assim como, segundo a fabricante, todas as demais versões do veículo – Pure e Prestige -, destaca-se o sistema Terrain Response, que adapta o carro a cada tipo de terreno, além das “borboletas” para trocas de marchas atrás do volante, opção para quem quiser sair da direção automática. Outro detalhe é que o carro tem como opções à venda as versões coupé e cinco portas e, por incrível que pareça, o coupé custa mais ao comprador. Além disso, a versão Pure vem com bancos de couro com ajustes elétricos, rodas aro 18 e tela multifunção. Na versão Prestige, esta disponível apenas com cinco portas, o Evoque ganha sistema de auxílio automático para estacionamento, faróis de xenon, rodas aro 19 e GPS, entre outros itens. O comprador pode optar ainda pelo pacote Tech – que adiciona itens como som com 17 alto-falantes, sistema de entrada sem chave, câmera 360 graus, suspensão adaptativa e telas multimídia. Finalmente, as versões denominadas Dynamic têm itens visuais diferentes, com detalhes em black piano nos para-choques, bancos esportivos em formato de concha, rodas aro 20 e saídas de ar no capô, entre outros, e mais todos os outros itens de tecnologia encontrados na versão Prestige. Além de todo o conforto e tecnologia embarcados, o Range Rover Evoque vem equipado em todas as suas versões com motor 2.0 a gasolina de quatro cilindros, que gera 240 cv de potência e leva o belo carro de zero a 100 km/h em 7,6 segundos. A transmissão é automática de seis velocidades e a tração é 4×4.

Impressão

Especificamente, falando da versão que levamos a teste, a Dynamic Tech, o menor e mais urbano dos veículos da inglesa Land Rover foi concebido para se tornar o sonho de consumo de quem mora nas cidades, ambiente em que beleza e status são fundamentais, especialmente no mercado de carros de luxo. Nesse sentido, o primeiro aspecto que chama a atenção no Evoque é o visual. A linha de cintura, que se eleva até quase encontrar o final do teto descendente, dá aspecto robusto e agressivo. Os faróis finos invadem a lateral e são adornados por atraentes luzes diurnas de LED, seguindo a tendência mundial. No geral, a aparência é de um SUV, mas a posição de dirigir se assemelha à de um hatch.
Por dentro, o visual impressiona pelo luxo. O painel tem iluminação predominantemente branca – a não ser quando o motorista opta pela condução mais esportiva -, com uma tela de LCD no meio, que exibe as informações do completíssimo computador de bordo. O console central, com acabamento em alumínio escovado, abriga os controles do ar-condicionado e o seletor do câmbio, que se ergue quando o carro é ligado. Acima fica o sistema touchscreen, que exibe os mapas de navegação, os controles e áudio e as imagens das cinco câmeras.
No todo, a impressão é de acabamento primoroso. Internamente é impecável, com as superfícies cobertas de couro e alumínio. O cuidado nos detalhes se estende à iluminação instalada embaixo do retrovisor externo, que projeta no chão a silhueta do carro ou o logotipo da marca, que ajuda na localização do carro à noite em estacionamentos mais escuros e lotados. O nome Land Rover na soleira da porta também é iluminado, assim como as extremidades do interior.
Com 4,36 m de comprimento, 1,63 m de altura, 1,96 m de largura e 2,66 m de entre-eixos, o Evoque não é grande, mas transporta bem quatro pessoas. Passageiros mais altos podem ter dificuldade no banco de trás por causa do teto descendente, que também limita a visão pelo vidro traseiro, um dos poucos defeitos do carro, a meu ver. Além disso, o motorista vai notar que o espaço para as pernas é apenas mediano, especialmente para apoio do pé esquerdo. Uma pessoa na direção com mais de 1,73 de altura (o meu tamanho) certamente poderá sentir mais esse desconforto, que pode até ser compensado com as muitas variações de ajustes que o banco oferece por meio de comandos eletrônicos.

O acabamento interno é impecável, com materiais de altíssima qualidade. O painel é bem moderno e mostra as diversas funções no modo de dirigir

No mais, a versão testada traz no volante 17 botões que controlam o computador de bordo, ajustam as configurações do carro, comandam o sistema de áudio e servem para atender ao telefone. No centro do painel, a tela de 8 polegadas touch-screen ajuda a reduzir a quantidade de botões no painel. O mesmo visor é usado para exibir mapas, sinal de TV e a imagem das câmeras. Um recurso interessante é o Dual View, que permite ao passageiro assistir a programas ou DVDs enquanto o motorista acompanha uma rota no GPS, por exemplo.
A transmissão de seis marchas é controlada por um botão rotativo. No modo manual, as trocas são feitas por borboletas atrás do volante. Apesar de ter cara de urbano, o Evoque também vem com o Terrain Response – sistema eletrônico do qual já falei – que gerencia a tração 4×4. Infelizmente, não tivemos tempo de testar a máquina no offroad.
Mas, no pouco tempo que botamos o veículo na estrada, deu para sentir um carro fácil de dirigir, de respostas rápidas no acelerador, frenagens seguras, muita estabilidade e que chega a 180 km/h com extrema facilidade, momento no qual a impressão que se tem é de estar a meros 100 por hora, dada a extrema segurança que o habitáculo do carro passa ao condutor. Só uma ressalva, a velocidade do carro, segundo o fabricante, pode chegar aos 217 km/h, e o limite em que chegamos na estrada foi só para teste. Nosso conselho: ideal mesmo é dirigir dentro da velocidade máxima permitida e curtir a máquina. No mais, uma excelente viagem.

Motor

Segundo informações do fabricante, o motor do Evoque é um 4 cilindros compacto, fabricado inteiramente em alumínio, bem mais leve do que os propulsores convencionais. O Si4 tem 2.0 litros e conta com turbo e sistema de injeção direta de gasolina. O resultado disso são 240 cv de potência e 34,7 kgfm de torque. Como comparação, por exemplo, o motor i6 de 3.2 litros do Freelander 2 (da Fiat) tem 233 cv de potência, 32,3 kgfm de torque e é 40 kg mais pesado.
Por causa do tempo de teste do carro, a nossa reportagem não teve a oportunidade de testar o consumo do evoque (veja detalhes fornecidos pelo fabricante no box, no final da matéria).
No quesito segurança, o Evoque tem airbags frontais, laterais e de cortina, freios ABS com controle de estabilidade e tração. Os faróis de xenônio ativos movimentam-se nas curvas, de acordo com o esterço no volante.

O Evoque visa atingir um novo público, que deseja um crossover urbano, mas que é bom de terra

Dados Técnicos
Motor Land Rover 2.0L Si4 16v Turbo, Injeção eletrônica direta
Combustível: Gasolina
Tipo: 4 cilindros em linha com bloco e cabeçote em alumínio
Válvulas: 16 (4 por cilindro)
Potência: 240cv
Torque: 38,7 kgfm
Posição: Transversal/Dianteiro
Transmissão: Automática/Sequencial de 6 velocidades com Drive Select (Seletor rotativo)
Tração: 4×4 Integral com controle eletrônico
Direção: Elétrica
Suspensão Suspensão dianteira: Dianteira independente do tipo McPherson
Suspensão traseira: Independente do tipo Multilink
Freios Freio dianteiro: Disco ventilado com ABS e EBD
Freio traseiro: Disco sólido com ABS e EBD
Rodas e Pneus Roda: Liga leve 20”
Pneu: xxxx
Dimensões e capacidades Comprimento: 4.365 mm
Largura: 1.965/2.125 mm
Altura: 1.635 mm
Entre-eixos: 2.662 mm
Porta-malas: 550 litros
Carga útil: 500 kg
Ocupantes: 4
Tanque combustível: 70 litros
Peso: 1.640 kg em ordem de marcha
Desempenho 0 a 100 km/h: 7,6 segundos
Vel. Máxima: 217 km/h
Consumo urbano: 8,4 km/l
Consumo rodoviário: 14,4 km/l
Consumo médio: 11,4 km/l (cidade/estrada)
(*) Informações do fabricante

.

Valores do Range Rover Evoque, conforme cada versão, já considerada a tabela atualizada com aumento do IPI:
Modelo R$
PURE Coupé 180.000
PURE 5 portas 178.000
PRESTIGE 196.000
DYNAMIC Coupé 206.000
DYNAMIC 5 portas 199.900
PRESTIGE TECH 249.000
DYNAMIC TECH 5 portas 253.000
DYNAMIC TECH Coupé 258.000

.

Mais uma observação, o motorista não precisa da chave em momento algum para entrar e ligar a máquina. O próprio sistema eletrônico do carro reconhece a presença desta, esteja ela na mão ou bolso, permitindo a abertura das portas assim como o acionamento da partida, feita por um botão instalado no painel. E as comodidades não param por aí. A tampa do porta-malas tem abertura elétrica e o Evoque vem ainda com um programa de estacionamento em que o motorista aperta uma tecla e o veículo localiza a vaga e faz sozinho as manobras para estacionar. Ao motorista resta o trabalho de acelerar, colocar a ré ou posicionar o câmbio em drive.