Saúde

Revista Mercado Edição 55 - fevereiro 2013

O azeite das Américas

Da Redação

Produto é considerado um dos mais poderosos óleos funcionais já pesquisados

O óleo de abacate possui ácidos graxos e esteróis semelhante ao do azeite de oliva, com potencial para se tornar um substituto do óleo de soja e também para ser utilizado com o azeite de oliva na elaboração de óleos mistos

Os óleos vegetais e os azeites sempre foram reconhecidos pelos benefícios que trazem ao organismo sendo cada vez mais abundante a quantidade de tipos e marcas presente nas prateleiras dos supermercados e casas especializadas em produtos naturais. Destaque para girassol, algodão, linhaça, milho, canola, soja, dendê, coco e o azeite de oliva. Contudo, uma nova vedete começa a ganhar destaque nesse cenário, trata-se do óleo de abacate que pode muito em breve se tornar o xodó da saúde. Rico em vitamina E, o alimento é um importante aliado no combate aos radicais livres e ainda uma excelente relação entre os ômegas 3, 6 e 9, sem contar as suas proteínas, ferro e minerais. A contra-indicação fica por conta do excesso de calorias, por isso, deve ser consumido com moderação.

Agora, novidade no Brasil, o óleo de abacate já pode ser encontrado em algumas lojas especializadas. Entres suas qualidades estão a prevenção de doenças cardiovasculares e da próstata e o controle da glicemia, auxiliando no tratamento da diabetes. O óleo ainda ajuda a proteger a saúde dos olhos, pele e cabelos, além de reforçar a imunidade e auxiliar no emagrecimento.

A nutricionista Bruna Murta destaca os benefícios do óleo de abacate para consumo humano

De acordo com a nutricionista Bruna Murta, da rede Mundo Verde (www.mundoverde.com.br), o óleo de abacate previne doenças cardiovasculares devido ao seu alto teor de ácido oléico, uma gordura monoinsaturada que auxilia na redução do LDL-colesterol e aumento do HDL-colesterol. Em sua composição é encontrado, também, o beta-sitosterol, que colabora para a saúde do coração, equilibrando os níveis de colesterol. “O beta-sitosterol encontrado no óleo de abacate também é responsável por outros benefícios ao organismo. Seu consumo pode auxiliar no tratamento da hipertrofia prostática benigna. Há evidências de que os fitoesteróis possam reduzir o risco de câncer de próstata”, explica a nutricionista da Mundo Verde, maior rede de lojas especializadas em produtos naturais, orgânicos e para o bem-estar da América Latina, com mais de 200 lojas só no Brasil.

Segundo ela, estudos também mostram que o beta-sitosterol participa do controle da glicemia e dos níveis de insulina em pacientes diabéticos, sendo um coadjuvante no controle da doença. Seu consumo pode melhorar a imunidade, aumentando a atividade de células que agem matando micro-organismos invasores, sendo auxiliar no tratamento de infecções e doenças como câncer e HIV, também devido ao beta-sitosterol. Além disso, pode ajudar no emagrecimento reduzindo os níveis de cortisol, hormônio relacionado ao aumento da compulsão alimentar e do acúmulo de gordura na região abdominal. “O beta-sitosterol se associa às gorduras saturadas de outros alimentos bloqueando sua absorção pelo corpo. Este efeito pode ajudar na perda de peso e prevenção de doenças do coração”, completa Bruna Murta.

Devido ao carotenóide chamado luteína, o óleo previne doenças nos olhos, como catarata e degeneração macular. Seu altíssimo teor de vitamina E, de ação antioxidante, inibe a formação de radicais livres, ajudando a diminuir os sinais do envelhecimento. O Óleo de Abacate apresenta-se como um óleo de cor variando do amarelo esverdeado ao avermelhado, com odor e sabor suave característico.

A nutricionista Bruna Murta destaca os benefícios do óleo de abacate para consumo humano

Comprovações científicas

As informações da nutricionista Bruna Murta têm o respaldo de pesquisas que vem sendo realizadas já há alguns anos. Segundo a empresa Longevid Alimentos, que importa do México e Nova Zelândia, o óleo de abacate virgem, ou azeite como também é chamado, as virtudes do óleo de abacate são reconhecidas desde 2006, quando um estudo feito para o Instituto Mexicano de Seguro Social comprovou que o consumo regular de abacate reduz em até 17% o colesterol total do sangue. Durante a pesquisa, os cientistas observaram que os níveis de LDL (mau colesterol) diminuíam conforme os voluntários consumiam porções controladas de abacate, enquanto os de HDL (bom colesterol) subiam.

Ao investigar as propriedades dessa fruta tropical, eles descobriram no óleo extraído da polpa altos níveis de beta-si tosterol, muito usado no tratamento de males da próstata, de doenças cardíacas e problemas imunológicos. E constataram que, além de regular o colesterol, o óleo de abacate mostrou-se eficaz na prevenção e no tratamento da hiperplasia prostática e de cânceres.

Com o tempo, várias outras vantagens medicinais foram descobertas nesse azeite, que possui em sua composição diversas substâncias medicinais, em especial, lecitinas, fitoesteróis, gorduras monoinsaturadas, vitamina A e um alto teor de vitamina E – quase o dobro do encontrado no óleo de semente de uva, e mais alto que o encontrado no kiwi, nas nectarinas e nos pêssegos. A vitamina E é conhecida por ser um poderoso antioxidante, que age inibindo a formação de radicais livres no organismo.

Esalq – Outra pesquisa feita no Brasil, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), constatou a mesma coisa – que o óleo extraído do abacate possui substâncias que previnem ou controlam níveis elevados ou anormais de lipídios (gordura) no sangue. O trabalho mostrou também que o óleo de abacate possui ácidos graxos e esteróis semelhante ao do azeite de oliva, com potencial para se tornar um substituto do óleo de soja e também para ser utilizado com o azeite de oliva na elaboração de óleos mistos.

Publicado na Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, o estudo da Esalq avaliou ainda que a substância extraída da polpa da fruta pode ser excelente matéria-prima para a indústria de alimentos. De acordo com a coordenadora da pesquisa, a professora Jocelem Mastrodi Salgado, o óleo de abacate é uma boa fonte de vitamina E (30 ml do óleo suprem 18% das necessidades diárias de um adulto), um poderoso antioxidante.

Como usar – O óleo de abacate pode ser consumido puro ou utilizado em diversos molhos para tempero de saladas, para regar hortaliças cozidas, e na finalização de pratos quentes.

Comparado a outros óleos vegetais, o óleo de abacate é mais estável a altas temperaturas, sendo assim, pode ser utilizado em preparações quentes, como refogados e frituras, sem alterar sua estrutura química.

Entre suas várias aplicações cosméticas, o óleo do abacate pode ser aplicado sobre os cabelos secos, conferindo os fios maciez e brilho

Também utilizado como cosmético, pode ser aplicado diretamente sobre a pele, auxiliando na prevenção de rugas, redução da flacidez e de manchas na pele. Aplicado sobre os cabelos secos, confere maciez aos fios.

Abacate – a fruta

O abacate (Persea americana) é originário do México, América Central e norte da América do Sul. A casca do abacate saudável tem coloração verde-oliva e brilhante, a polpa é espessa e cremosa, de coloração verde-amarelada. Devido à cremosidade e ao sabor suave, indefinido e pouco açucarado de sua polpa, apresenta grande versatilidade para o consumo, adaptando-se tanto a pratos doces como salgados.

Os abacates estão bons para o consumo quando a polpa se encontra ligeiramente macia, mas não pastosa ou descorada. A polpa do abacate em pedaços, amassada ou em creme, pode ser misturada com açúcar ou mel, acrescida ou não de gotas de limão. Pode também ser batida com leite ou com o suco de outras frutas e bebida como “vitamina”. Não é costume no Brasil, mas em outros países o abacate é utilizado como ingrediente em saladas, em pedaços ou em creme. Temperado com sal, pimenta e outros condimentos, o abacate é servido como acompanhamento para pães e pratos salgados.

O abacate é uma fruta tropical muito rica em nutrientes e da qual vem sendo extraído na Nova Zelândia por um processo de prensagem a frio, um azeite extremamente medicinal