Inovação

Revista Mercado Edição 46 - outubro 2011

Governo de Minas e FIEMG unidos pela inovação

Da Agência Minas

O Governo de Minas pretende estreitar ainda mais a relação com o segmento empresarial e trabalhar por uma maior aproximação deste com a universidade e centros de pesquisa. Esse foi um dos compromissos firmados pelo secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, junto à diretoria da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), para que a inovação chegue à sociedade com mais rapidez. A reunião aconteceu este mês na sede da FIEMG, em Belo Horizonte.
Com a presença de toda a diretoria da FIEMG, inclusive dos vice-presidentes regionais, o secretário falou da plataforma do Governo do Estado para os setores de tecnologia e inovação e da preocupação em fazer com que os projetos possam apresentar resultados efetivos. Ele citou a Cidade da Ciência e do Conhecimento; a Rede de Inovação Tecnológica e Cidadania Digital; a Cidade das Águas e a expansão do ensino superior, por meio da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), que deverá encampar seis fundações do interior que já utilizam a chancela Uemg.
Narcio Rodrigues disse que há grande interesse do governo mineiro em continuar atraindo centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P, D & I) para o estado. Lembrou que Minas possui 84 Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) em 81 municípios. Apesar de ser a maior rede do Brasil, ela será ampliada para 104 CVTs, que serão transformados em polos de educação a distância para oferecer a todos os cidadãos a possibilidade de fazer um curso superior e de ganhar espaço no mercado de trabalho.

O presidente da FIEMG, Olavo Machado, prontificou-se em ser parceiro do Governo de Minas e em ampliar a relação com a Sectes

Minas possui 84 Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) em 81 municípios e, apesar de ser a maior rede do Brasil, será ampliada para 104 CVTs

De acordo com o secretário, a Sectes coordena quatro importantes Arranjos Produtivos Locais (APLs) focados em tecnologia e inovação: biotecnologia, eletroeletrônicos, bioenergia e software. Ele ressaltou a existência das incubadoras e dos parques tecnológicos de Viçosa – já inaugurado – Belo Horizonte e Itajubá – que serão inaugurados nos próximos meses -, além dos parques de Uberaba, Juiz de Fora e Lavras.
Narcio Rodrigues explicou ainda a importância dos polos de excelência do Leite, Café, Mineral e Metalúrgico, Florestas, Recursos Hídricos, Genética Bovina e Inovação Ambiental, este último recentemente lançado pelo Governo de Minas em parceria com Instituto Inhotim, em Brumadinho. E, por fim, falou sobre os Polos de Inovação e do Teia MG, que trabalha a construção da cidadania digital e a formação de empreendedores.
O presidente da FIEMG, Olavo Machado, colocou-se como parceiro do Governo de Minas e manifestou interesse em ampliar a relação com a Sectes, considerada pela entidade empresarial como fundamental no processo de inovação da indústria mineira. No que se refere à parceria estabelecida entre a Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Machado antecipou que está conhecendo diversas experiências bem-sucedidas no exterior para implantá-las em Minas, levando em consideração a realidade local.
Outros pontos da agenda conjunta da Sectes e FIEMG foram colocados pelo secretário Narcio Rodrigues, como a bienal do design, que será sediada em Minas Gerais; o complexo aeronáutico, que integrará os polos de Itajubá, Tupaciguara e Lagoa Santa; e o aeroporto de Goianá, na Zona da Mata. A reestruturação da Uemg com uma vertente na inovação foi amplamente reconhecida como necessária pelo empresariado, sobretudo com investimentos em novos cursos para tecnólogos e engenheiros.
O Sul e o Noroeste de Minas, por meio das regionais da FIEMG, pediram ao secretário que a Sectes esteja presente em ações de inovação nessas regiões. Narcio Rodrigues ressaltou a importância da articulação política para que o Governo de Minas possa chegar mais perto da sociedade e beneficie os segmentos interessados na inovação e na construção da cidadania.