Indústria

Revista Mercado Edição 51 - maio 2012

CNI apresenta Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira

Da Redação

Minas receberá R$ 260 milhões para investimentos em qualificação profissional, desenvolvimento tecnológico e inovação; evento teve a participação do governador Antonio Anastasia

Alberto Pinto Coelho, Antonio Anastasia e Robson Andrade durante apresentação do programa

O governador Antonio Anastasia participou, na última semana de abril, na Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), da apresentação do Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira. Iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o programa prevê investimentos da ordem de R$ 260 milhões para a construção de institutos de desenvolvimento tecnológico e de inovação, além da implantação de centros educacionais e da compra de unidades móveis para a formação profissional.
O objetivo do projeto é tornar a indústria mineira mais competitiva e gerar mais emprego de qualidade em Minas. Para o governador Anastasia, os investimentos irão melhorar a qualidade do trabalhador mineiro e agregar mais valor aos produtos fabricados em Minas Gerais.
“Queria agradecer ao Dr. Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, por ter colocado Minas Gerais neste grandioso e ambicioso projeto do Senai Nacional de instituir tantos institutos de tecnologia e de inovação. Minas Gerais está recebendo diversas unidades, com investimentos de R$ 260 milhões. Isso é muito positivo, não só para melhorar a qualidade do nosso trabalhador, mas em especial para agregar valor aos produtos mineiros, o que tem sido nosso grande esforço”, disse Antonio Anastasia.

O governador Antonio Anastasia elogiou a iniciativa da CNI

Inovação e qualificação

Até 2015, serão instaladas nove unidades de inovação e desenvolvimento tecnológico, sendo seis Institutos Senai de Tecnologia (IST) e três Institutos Senai de Inovação (ISI) – dois deles no espaço físico da Fundação Cetec, totalizando investimentos da ordem de R$ 180 milhões.
O restante dos recursos será destinado à implantação de sete Centros de Formação Profissional, além da compra de quatro Unidades Móveis de qualificação para atender cidades que não contam com sede do Senai. Nos próximos três anos, serão criadas 209,5 mil vagas em cursos de nível básico, médio e superior em 28 áreas de atuação do Senai.
O projeto abrange todo o Estado, especialmente a Região Metropolitana de Belo Horizonte, que concentra 40% da oferta por mão de obra qualificada. A ideia é que as unidades funcionem em rede com as demais em implantação no país, para atender a indústria nacional no intuito de torná-la mais competitiva no mercado brasileiro e internacional.

Apoio

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, ressaltou que sem o apoio do Governo de Minas, a entidade teria dificuldades em trazer os benefícios para o Estado. Ele lembrou que o Estado é o que registra o menor índice de desemprego do país, segundo dados do Ministério do Trabalho.
“Juntos vamos conseguir implantar projetos importantes na área de desenvolvimento tecnológico e inovação. É uma grande oportunidade para o desenvolvimento de novos setores e para o fortalecimento dos segmentos já existentes no Estado”, disse Robson Braga de Andrade. Em Minas Gerais, os institutos de tecnologia vão atender aos segmentos de metalmecânica, meio ambiente, química, eletroeletrônica, alimentos e bebidas e metalurgia. Já os institutos de inovação serão voltados para a engenharia de superfícies, metalurgia e ligas especiais e engenharia elétrica de alta potência.

O presidente da CNI, Robson de Andrade, disse que a implantação desse projeto é uma grande oportunidade para o desenvolvimento de outros setores

Demanda industrial

De acordo com o diretor de educação e tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, os investimentos para a implantação do programa em Minas levaram em consideração estudos sobre demanda industrial por mão de obra qualificada até 2014. Minas Gerais é um dos estados que se destaca na ampliação da demanda de educação profissional e tecnológica e dos serviços técnicos e tecnológicos.
O cenário de investimentos em Minas Gerais é bastante promissor. Em 2011, foram assinados 162 protocolos de intenções de empresas com previsão de investimentos da ordem de R$ 28,38 bilhões. Já para 2012 e 2013, os investimentos no Estado devem superar R$ 47,9 bilhões, conforme estudo do Sebrae Minas.

Projeto de Lei

Durante o evento, o governador assinou mensagem a ser enviada à Assembleia Legislativa de projeto de lei propondo a ampliação da atuação do Cetec no Estado. O objetivo é permitir que o Cetec atue em parceria com outras instituições na identificação de novas fontes de financiamento que assegurem mais inovação científico-tecnológica para aumentar a produtividade e a competitividade da indústria mineira.
Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), Olavo Machado Júnior, a parceria entre a entidade e o Governo de Minas vai permitir novo salto de qualidade ao Cetec. “A mudança na legislação vai melhorar ainda mais o acordo já existente entre o Cetec e o Senai, fazendo com que o Cetec amplie sua missão de trabalhar integrado com o setor industrial para o desenvolvimento de novos produtos”, disse.
O Cetec também celebrou convênio com o Senai e a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) para a realização de projetos de pesquisa nas áreas de tecnologia de produção e aplicação de aços, especialmente com a utilização de ferro nióbio. Assinaram o documento o presidente da Fundação Cetec, Marcílio César de Andrade, o diretor regional do Senai, Lúcio José de Figueiredo, e o diretor da CBMM, JD Vital.

Anastasia visitou mostra do Senai sobre desenvolvimento tecnológico e inovação

Exposição

Antes da apresentação do Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira, o governador Antonio Anastasia, ao lado do vice-governador Alberto Pinto Coelho, visitou mostra do Senai Nacional com trabalhos de todo o país nas áreas de educação, desenvolvimento tecnológico e inovação.