Matéria de Capa

Revista Mercado Edição 36 - novembro 2010

As melhores empresas em sustentabilidade

POR Evaldo Pighini

Cargill, Iso Olhos, Efrem, Sankhya e Uberlândia Refrescos: o consumidor já tem mais um justo motivo para prestar mais atenção nas marcas, produtos ou serviços dessas empresas; elas acabam de conquistar o prêmio Empresário Herói 2010, conferido a empresas que investem em sustentabilidade, posicionamento institucional e atuação no mercado regional

“A regra geral para a população mundial hoje é mudar ou morrer”. Aconteceu no dia 11 de novembro a solenidade de entrega dos certificados do Prêmio Empresário Herói. Entre mais de 380 convidados, estavam os representantes das 56 empresas inscritas para esta edição 2010 do prêmio, que visava a reconhecer as melhores práticas em sustentabilidade de Uberlândia e região. Na noite da premiação foram consagradas seis empresas: a Cargill Agrícola, vencedora na categoria Projeto Ambiental; o Instituto de Saúde Ocular – Iso Olhos, que levou o prêmio em duas categorias, Projeto Social e Inovação Tecnológica; Efrem Telecomunicações, na categoria Micro/Pequena Empresa; Sankhya Gestão de Negócios, categoria Média Empresa; e, finalmente, a empresa Uberlândia Refrescos, que ficou com o título na categoria Grande Empresa. O idealizador do prêmio Empresário Herói e presidente da Regional Vale do Paranaíba, Pedro Lacerda, referiu-se ao prêmio como “um estímulo a empresas que desejam alcançar excelência em suas atividades produtivas e nos assuntos de sustentabilidade”. Ainda durante a solenidade, o empresário Onofre Siqueira recebeu da Fiemg Regional Vale do Paranaíba o título “Industrial do Ano”.

Autoridades presentes na solenidade de entrega do Prêmio Empresário Herói (da esquerda para a direita): Celso Vilela, presidente da CDL Uberlândia; Tenente Coronel Hércules dos Reis Silva, da 9ª Cia de Polícia Militar; Paulo Ferolla, presidente do Sindicato Rural de Uberlândia; Dilson Dalpiaz, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Uberlândia; Pedro Lacerda, presidente da Fiemg Regional Vale do Paranaíba; Dr. Joemilson Donizetti Lopes, diretor do Foro da Comarca de Uberlândia; professor Alfredo Júlio Fernandes Neto, reitor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU); e José Geraldo Sales, superintendente da Caixa Econômica Federal

O prêmio “Empresário Herói” foi criado em 2009 pela Fiemg Regional Vale do Paranaíba com apoio do Centro Industrial e Integração de Negócios do Triângulo e Alto Paranaíba (Cintap), do Eco Instituto, dos Sindicatos Patronais da Indústria e da Revista MERCADO, com o objetivo de reconhecer e dar merecida notoriedade às práticas da sustentabilidade empregadas à frente de suas empresas por empresários de Uberlândia e região. Para os organizadores, o evento deste ano conseguiu de novo alcançar o objetivo de reconhecer as empresas que investem em sustentabilidade – econômica, social, ambiental e cultural, em posicionamento institucional e em atuação no mercado regional.

O “Empresário Herói”

Esta foi a segunda edição do Prêmio Empresário Herói e já contou com um número bem maior de empresas inscritas com relação ao ano anterior, demonstrando a sua credibilidade e imparcialidade ao julgar e destacar as ações dos participantes na questão da sustentabilidade. Outro ponto positivo é que o aumento de participantes pode estar relacionado com a também crescente preocupação dos empresários da região em promover administrações sustentáveis em seus negócios, o que é bom para ambos os lados: empresa e sociedade. E o meio ambiente agradece.
Neste ano, foram 56 empresas de Uberlândia e região que se inscreveram e concorreram ao Prêmio “Empresário Herói” nas seguintes categorias: Micro/Pequena, Média e Grande empresa, Projeto Social, Projeto Ambiental, Inovação Tecnológica, Projeto Cultural e Campanha Publicitária. Ao final, foram selecionadas três finalistas, das quais uma foi escolhida vencedora em cada categoria, à exceção das categorias Projeto Cultural e Campanha Publicitária, em que nenhuma das empresas inscritas alcançou a pontuação mínima exigida para receber o prêmio.

O idealizador do Empresário Herói e presidente da Fiemg Regional Vale do Paranaíba, Pedro Lacerda, em seu pronunciamento durante o evento

Daniela Dias, gerente de Projetos do Cintap/ Eco Instituto: “O Prêmio Empresário Herói quer mais do que promover um evento, ele quer destacar os exemplos de gestão sustentável e bem-sucedida”

Durante a premiação, coube aos vencedores o recebimento de um certificado, a divulgação de seu case pela MERCADO, um troféu e mais a cessão de um selo alusivo ao Prêmio Empresário Herói.

Regulamento

Para participar do Prêmio Empresário Herói as empresas de micro e pequeno porte legalmente constituídas deveriam ter no mínimo dois anos de atuação no mercado. Para as de médio e grande porte, esse período foi de cincos anos. Outra condição é que todas deveriam estar associadas à Fiemg, aos Sindicatos Patronais ou ao Cintap/Eco Instituto Inderc. Quanto às categorias de porte, a empresa inscrita pôde concorrer em apenas um segmento, já nas categorias específicas, a candidatura era livre para mais de um prêmio.
Na avaliação, as empresas foram julgadas em três critérios: institucional, atuação no mercado regional e sustentabilidade. De acordo com o primeiro deles, a empresa deveria apresentar sua constituição legal e comprovação de atuação no ramo; através do segundo, foram avaliados os quesitos associativismo, inovações tecnológicas, faturamento e operações bem-sucedidas com fins lucrativos; finalmente, o terceiro e último critério foi responsável por avaliar: redução de impacto social e ambiental (RES), investimento social privado – ações filantrópicas desenvolvidas na comunidade -, segurança no trabalho, qualidade de vida no trabalho, economia e reuso de recursos naturais esgotáveis e cotas para pessoas com deficiência, dentre outros que, de alguma maneira, contribuem com a sustentabilidade como princípio para o desenvolvimento.

“A comissão este ano contou com representantes de entidades com trabalho relevante no âmbito da sustentabilidade e foi criteriosa e imparcial. O Prêmio Empresário Herói quer mais do que promover um evento, ele quer destacar os exemplos de gestão sustentável e bem-sucedida”, ratificou a gerente de Projetos do Cintap/Eco Instituto, Daniela Dias.
Para o presidente da Fiemg, Pedro Lacerda, todas as empresas inscritas no Empresário Herói são vitoriosas por causa de suas administrações sustentáveis. “O simples fato de se inscreverem já mostra que estão fazendo algo pela sustentabilidade”, resume.

Membros da Comissão Julgadora Prêmio Empresário Herói 2010
Celso Medina – Gerente do SENAI CETAL Uberlândia
Cristina Palhares – Representante da Secretária Municipal de Desenvolvimento Social de Uberlândia
Décio Carmona – Presidente do Comitê Regional de Cidadania Empresarial (*)
Dilson Dalpiaz Dias – Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo
João Tomaz da Silva Jr. – Gerente do SESI e do SENAI CFP Uberlândia
José Augusto de Barros – Coronel (reformado)
Leonardo Daher de Melo – Presidente da Fundação Araguarina de Educação e Cultura (FAEC)
Linda-Mar Peixoto – Presidente do Instituto Alair Martins
Sandra Borges Pereira – Representante da Secretária Municipal de Meio Ambiente de Uberlândia
Tony Amaral – Representante do Presidente da Associação dos Profissionais da Propagada (APP)
Virgínia Alcântara – Secretária Municipal de Trabalho e Ação Social de Araguari
Presidentes dos Sindicatos Patronais da Indústria de Uberlândia
(*) Décio Carmona foi quem presidiu a comissão

______________________________________________________________

Noite de gala

Os grandes vencedores do Prêmio Empresário Herói 2010 foram conhecidos durante coquetel realizado na noite de 11 de novembro no The Place Salão de Festas em Uberlândia. Foram proclamados os grandes vencedores da noite as empresas Cargill (Projeto Ambiental), Iso Olhos (Projeto Social e Inovação Tecnológica), Efrem (Micro/Pequena Empresa), Sankhya (Média) e Uberlândia Refrescos (Grande). A empresária Luciana Alves, diretora da Efrem Telecomunicações, considerou uma honra receber o prêmio. “Estou imensamente feliz. É o reconhecimento de muito esforço e dedicação. Ser homenageada só mostra o quanto estamos no caminho certo”, disse a diretora da empresa, que está há 12 anos no mercado. Por sua vez, o diretor presidente da Uberlândia Refrescos (leia-se Coca-Cola), Alexandre Biaggi, afirmou que o prêmio veio para coroar o bom trabalho de sua equipe. “Somos uma das empresas mais antigas de Uberlândia e há 35 anos empreendemos o projeto social como desenvolvimento sustentável que hoje está em evidência. Estão todos de parabéns pelo prêmio”, justificou.
Daniela Dias apresentou um resumo do que levou cada uma das empresas a receber o Prêmio Empresário Herói deste ano.

Empresas vencedoras do Prêmio Empresário Herói 2010
Categoria Empresa
Projeto Ambiental Cargill Agrícola S/A
Projeto Social Clínica Iso Olhos
Inovação Tecnológica Clínica Iso Olhos
Micro/Pequena Empresa Efrem Telecomunicações
Média Empresa Sankhya Gestão de Negócios
Grande Empresa Uberlândia Refrescos

______________________________________________________________

Uberlândia Refrescos
Categoria Grande Empresa

Alexandre Biaggi, presidente da Uberlândia Refrescos, ergue o troféu Empresário Herói na categoria Grande Empresa

“A Uberlândia Refrescos concorreu nas categorias Grande Empresa, Projeto Ambiental e Projeto Social, sendo finalista nas três. E, pela segunda vez consecutiva, a empresa se sagrou vencedora da Categoria Grande Empresa por seu posicionamento, por todos os projetos que desenvolve, pela gestão pautada na sustentabilidade como modelo de negócio e pelas boas práticas que podem servir de exemplo para empresas da região e do país. A Uberlândia Refrescos conta atualmente com 902 funcionários e apresenta pontuação excelente em todas as questões do Relatório de Gestão proposto pela comissão do Prêmio Empresário Herói. É uma multiplicadora de conceitos e práticas que fazem a diferença em todas as esferas da sustentabilidade: econômica, social, ambiental e cultural.”

______________________________________________________________

Sankhya
Categoria Média Empresa

A equipe da empresa Sankhya, vencedora na categoria Média Empresa

“A Sankhya Gestão de Negócios apresentou em 2010 um perfil ainda mais sustentável que no ano anterior. Segundo informação da comissão organizadora, pode-se dizer que desde a apresentação do material da empresa até os projetos implementados, bem como sua forma de gestão, tudo é exemplo do que uma empresa de médio porte, especialmente na área de serviços e tecnologia, deve fazer para apresentar sustentabilidade em sua governança. O que se percebe, avaliando o material e os documentos, é que os 166 funcionários da Sankhya estão, de fato, aplicando a sustentabilidade como um princípio norteador de suas atividades. Esse é o efeito multiplicador dos ideais de uma empresa certamente convencida da importância absoluta de fazer de sua gestão uma atividade sustentável.”

______________________________________________________________

Efrem Telecomunicações
Categoria Micro/Pequena Empresa

Luciana Alves, diretora da empresa Efrem Telecomunicações, comemorou bastante a conquista do prêmio

“A Efrem Telecomunicações é uma empresa relativamente nova no mercado, que está crescendo com pauta certa e especial atenção ao cliente. É a típica empresa do futuro, ou seja, aquela que busca produtos para seus clientes e não clientes para seus produtos. Desde o planejamento estratégico até os projetos de investimento social privado, percebe-se a sustentabilidade norteando as suas atividades. A Efrem entendeu a mensagem que, independentemente do porte ou número de funcionários – a empresa conta com cinco colaboradores no momento -, é possível desenvolver uma gestão sustentável. Por esse motivo foi vencedora em sua categoria.”

______________________________________________________________

Iso Olhos
Inovação Tecnológica e Projeto Social

Dr. André Rodrigues Cunha, Dra. Maria do Carmo Monte e Isabel Rosita: representantes do Iso Olhos, empresa premiada em duas categorias no Empresário Herói 2010

Inovação Tecnológica – “A empresa que mais se destacou em relação aos índices de inovação foi a Iso Olhos. A categoria Inovação Tecnológica foi avaliada pela coordenação do NIT – Núcleo de Inovação Tecnológica -, que observou que os indicadores de Entrada e Saída se mantiveram no mesmo patamar, sendo assim coerentes com os novos processos produtivos perante o faturamento da empresa e investimentos em P&D. É tambem visível a crescente evolução de Formas, Fontes e Impactos que a inovação reflete no ambiente da empresa, tornando-a assim um destaque de competitividade no mercado.”
Projeto Social – “O programa VER para ReviVER é uma prática de responsabilidade da empresa Iso Olhos que se mantém sustentável através de recursos próprios, existindo há mais de 10 anos. Sua natureza é a oferta de serviços de saúde em Oftalmologia com o mesmo nível científico e humano que é dado aos clientes.
Não diferente de outras cidades, existe hoje em Uberlândia uma enorme demanda, reprimida tanto pela dificuldade de acesso quanto pela cobertura insuficiente do sistema de saúde pública.
Assim, o objetivo maior do programa da empresa Iso Olhos é propiciar a reabilitação visual através de condutas médicas, ajudando a diminuir a demanda da comunidade que não tem atendimento no setor público e proporcionar a inclusão social e inserção no mercado de trabalho. Em síntese, o programa consiste de várias etapas: triagem, teste de visão, avaliação médica com diagnóstico e prescrição de óculos e/ou tratamentos, exames e cirurgias, se for o caso.
Para a equipe avaliadora da Categoria Projeto Social, um dos fatores que tornam este projeto ainda mais diferenciado é o trabalho de sensibilização para o voluntariado que notoriamente gerou a adesão total dos funcionários da empresa aos projetos específicos e aos requisitos de sustentabilidade na gestão. Portanto, além de prestar um serviço extremamente relevante à comunidade, multiplica os valores de RSE e sustentabilidade entre seus funcionários, parceiros e clientes.”

______________________________________________________________

Cargill Agrícola S/A
Projeto Ambiental

Diretores da Cargill recebem o merecido troféu de melhor Projeto Ambiental

“Concebido em 2009, a partir de uma parceria público-privada envolvendo a Cargill Agrícola S/A, Prefeitura de Uberlândia e Cia. De Meio Ambiente, o Projeto Ambiental “Salto + Limpo” visa à recuperação de 25 ha de cerrado na Área de Proteção Ambiental (APA) Córrego do Salto, que inclusive abriga as suas nascentes. Desde a implantação do projeto, a área foi isolada e protegida contra a ação do fogo (aceiramento), foram construídos bolsões e curvas de nível para conter a água da chuva e o leito do córrego foi protegido do assoreamento. Também já foram plantadas cerca de 14.000 mudas de espécies nativas do cerrado, dentre as quais mais ou menos a metade está vingando.
O Projeto Salto + Limpo também contempla o desenvolvimento de ações de educação ambiental com colaboradores da empresa, empreendimentos vizinhos e com a comunidade do entorno, envolvendo palestras, plantio de mudas, teatro e caminhada ecológica. Para 2011, a previsão é a intensificação dessas e de outras atividades de educação ambiental, aliadas à constante manutenção da área, visando a sua completa recuperação, que atualmente já produz bons frutos reconhecidos mundialmente, como a premiação de mérito promovida pelo Departamento Corporativo Mundial de Meio Ambiente, Saúde e Segurança (Environment, Health and Safety – EHS) da Cargill, ocorrida em fevereiro de 2010. Entre 127 projetos, o Salto + Limpo ficou entre os 12 vencedores, o que demonstra que valores como respeito ao meio ambiente, cuidado e atitude devem ser cada dia mais cultivados.
A equipe que avaliou a categoria Projeto Ambiental levou em consideração o investimento e a perenidade dos resultados do projeto da Cargill e entendeu que este alcançou tanto os objetivos ambientais como a sensibilização da comunidade do entorno com as ações de educação ambiental que, sem dúvida, apresentarão um efeito multiplicador considerado de extrema relevância dentro dos critérios do Prêmio Empresário Herói.”

______________________________________________________________

Industrial do ano

O empresário Onofre Siqueira, após receber o seu troféu: “Industrial do Ano”

Um destaque à parte na noite de premiação do Empresário Herói 2010 foi a entrega do prêmio Industrial do Ano – Fiemg Regional Vale do Paranaíba – ao empresário Onofre Siqueira, dono da empresa Charque Carreteiro. Onofre teve o seu nome indicado ao prêmio pela presidência da Fiemg Regional Vale do Paranaíba e pelos Sindicatos Patronais da região, conforme critérios do Sistema Federação das Indústrias de Minas Gerais.

______________________________________________________________

Sustentabilidade gera lucros sociais e financeiros

Embora muitos ainda sigam alheios, a discussão tem estado cada vez mais acirrada em torno dos problemas climáticos e da possível escassez de recursos naturais num futuro não muito distante, assim como também mais próxima das grandes massas e das empresas dos países emergentes. Discussão esta que acirrou ainda os ânimos dos mercados e aumentou a pressão exercida pelas entidades ambientais e por cientistas que vêm estudando esses fenômenos e as possibilidades de um cataclisma climático de grandes proporções, com possíveis consequências para o nosso modo de vida e a própria continuidade de nossa espécie. Daí a importância de iniciativas como o Prêmio Empresário Herói, que reconhece e destaca as boas práticas de sustentabilidade, tanto sociais quanto ambientais, até para que sirvam de exemplo para outras empresas.
Diante de tudo o que vem ocorrendo, ser sustentável, para uma empresa, passou a ser um importantíssimo diferencial mercadológico e uma possibilidade real de aumentar sua lucratividade e potencializar a venda de seus produtos para um público consumidor mais preocupado e mais atento a essa realidade que se anuncia.

“A empresa que não for sustentável verdadeiramente tenderá a desaparecer pela própria seleção natural do mercado”

Pedro Lacerda

Na observação de Pedro Lacerda, o público consumidor de hoje se preocupa muito mais com a forma como os produtos são produzidos e os perigos inerentes para o meio ambiente do que há poucos anos atrás. Ele observa ainda que a realidade atual nem chega perto da que se pode prever para o futuro, quando será ainda muito mais difícil para uma empresa superar o estigma de ser poluidora ou de não levar em consideração uma preocupação séria com o meio ambiente. “A empresa que não for sustentável verdadeiramente tenderá a desaparecer pela própria seleção natural do mercado”, analisa Lacerda.
Portanto, ele observa: “para que uma empresa sustentável possa ser realmente chamada de amiga do meio ambiente e preocupada com a sociedade que a cerca, ela deve fazer muito mais do que simplesmente usar papel reciclado ou fazer doações e campanhas em prol do meio ambiente”.

Mudar ou morrer

Do jeito que o mundo caminha, são muitos os problemas globais que justificam iniciativas como essa da realização do Prêmio Empresário Herói, que reconhece e destaca as boas práticas de sustentabilidade. Segundo o Relatório Planeta Vivo 2010 da WWF (World Wildlife Fund For Nature), o crescimento econômico acelerado tem alimentado uma demanda crescente por recursos: alimentos e bebidas, energia, transportes, produtos eletrônicos, espaço de vida e espaço para o descarte de resíduos e, sobretudo, por dióxido de carbono derivado da queima de combustíveis fósseis. Como esses recursos não podem mais ser obtidos dentro das fronteiras nacionais, tem havido uma busca crescente em outras partes do mundo. Os efeitos dessa busca se refletem nos Índices do Planeta Vivo no caso dos países tropicais e dos países mais pobres do mundo: ambos os grupos sofreram queda de 60% desde 1970.
O relatório Planeta Vivo relaciona o Índice Planeta Vivo – um indicador da saúde da biodiversidade mundial – com a Pegada Ecológica e a Pegada Hidrológica, medidas de demandas da humanidade sobre os recursos naturais renováveis da Terra.

Hélio Mattar, do Instituto Akatu: “Se continuarmos a consumir desordenadamente, a vida humana se reduzirá a um número compatível com os recursos naturais”

Numa situação de antagonismo, ao longo dos últimos anos o Brasil tem presenciado um crescimento econômico e uma melhoria constante das condições sociais, a desigualdade vem diminuindo e a estabilidade econômica elevou o poder aquisitivo da população. Um quadro desejável e bastante positivo. Contudo, as mudanças nos hábitos de consumo da população brasileira têm acelerado a demanda por recursos naturais e serviços ecossistêmicos, aumentado assim nossa Pegada Ecológica – o rastro que deixamos na natureza em razão dos nossos hábitos de consumo. De certo que as riquezas naturais são parte dos ativos necessários ao crescimento econômico que o mundo presencia, mas deve existir sempre um equilíbrio entre o que é consumido e o que a natureza pode prover. Essa é a principal mensagem do Relatório Planeta Vivo 2010. “A economia e o meio ambiente não são fatores concorrentes e sim complementares. Mas no momento estamos sobrecarregando o poder regenerativo da natureza e colocando em risco não só os ecossistemas, que são a base da nossa sobrevivência na Terra, como também a sustentabilidade econômica”, alerta a secretária geral da WWF Brasil, Denise Hamú, confirmando que o padrão mundial se repete no Brasil.
Para o diretor presidente do Instituto Akatu, Hélio Mattar, o nosso planeta está doente. Segundo ele, basta ver a desertificação progressiva na África e Ásia, a alteração do clima do planeta graças ao efeito estufa, a poluição das águas, a devastação das florestas tropicais, a degradação da qualidade do ar, etc., para que se entenda o porquê de sua afirmação. Ele explica que o planeta está doente, mas não morrerá. Não corre risco. “Quem corre risco é a vida humana sobre o planeta. Se continuarmos a consumir desordenadamente, a vida humana se reduzirá a um número compatível com os recursos naturais”, acrescenta.